EM  DEFESA  DA  CAÇA,  DO  ASSOCIATIVISMO,  DOS  CAÇADORES  E DO  ORDENAMENTO  CINEGÉTICO

 

 






 
 
 
 
 
 
 
 

 Projecto em curso, com periodicidade anual

Dia dos Caçadores pelo Ambiente

1 de Junho de 2008

Foi deliberado na reunião de Direcção da Federação de Caçadores do Algarve do passado mês de Fevereiro que no corrente ano de 2008 o dia 18 de Maio seria dedicado à jornada anual de limpeza ambiental. No entanto, devido ao interesse demonstrado pelo Senhor Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Dr. Jaime Silva, em participar activamente na jornada, foi designada uma nova data, que passou a ser o dia 1 de Junho, em que também se comemora o Dia Mundial da Criança. 

Jornada de limpeza anual

Recordamos que a Federação de Caçadores do Algarve realizou pela primeira vez, no dia 8 de Maio de 2005, estas jornadas ambientais, dedicadas à defesa e preservação do Ambiente. 

Em 2006, a jornada de limpeza estendeu-se a todo o País - no seguimento da proposta apresentada pelo Presidente da Direcção da FCA à Direcção da Confederação Nacional dos Caçadores Portugueses -, a qual foi imediatamente aceite e, nesse ano o data escolhida foi o dia 14 de Maio de 2006. 

Em 2007, o Dia dos Caçadores pelo Ambiente foi assinalado a 20 de Maio, tendo registado bastante sucesso, embora recolendo-se uma quantidade ligeiramente menor que nos anos anteriores, o que é compreensível. 

Esta jornada ambiental consiste numa "grande operação de limpeza" em todos os terrenos, ordenados ou não, realizada numa data a definir anualmente, contando com o apoio das autarquias locais. 

A próxima está agendada para dia 1 de Junho, pretende atingir "uma maior sensibilização em relação ao futuro e mostrar a necessidade de melhor se cuidar do ambiente, fazendo com que os terrenos mais limpos possam originar menos incêndios ou outras calamidades que tanto têm afectado a nossa região e o País em geral".

Definição do evento

O "Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente", é uma intervenção no terreno que visa no seu conjunto três pontos muito importantes e marcantes para o sucesso da iniciativa, sobretudo numa perspectiva de futuro.

 

1.º Pretendemos explicar às populações que esta não é apenas uma medida interventiva, mas sobretudo pedagógica, educativa, lembrando também que os caçadores não vão para o terreno recolher o seu próprio lixo, porque já o fazem no final de cada jornada de caça. Aliás, os caçadores sabem que é da sua responsabilidade deixar a natureza tal como a encontram, isto é, limpa, não abandonado nos locais por onde passam qualquer tipo de detrito.

 

2.º Queremos com esta intervenção em defesa da natureza, chamar a atenção de toda a população, afirmando desta forma que estamos preocupados com a natureza, e que é necessário que toda a população contribua para que estas iniciativas se tornem desnecessárias, acabando uma vez por todas com este acto menos cívico.
Lembramos que na nossa actividade cinegética, somos nós, os caçadores que promovemos a natureza, criando e sustentando o ordenamento, limpado, desmatando, semeando, criando charcos, comedouros e bebedouros não apenas como valores da cinegética que permitem o desenvolvimento das jornadas de caça, mas também o apoio e a conservação de todas as espécies protegidas.
Queremos que o habitat onde passamos a maior parte do nosso tempo, seja um espaço limpo e agradável para todos, onde seja apetecível o encontro do homem com a natureza.
Desta forma, também pretendemos, com esta "Operação de Limpeza", evitar que a natureza fique mais sensível ou mais fragilizada em relação aos incêndios.

 

3.º Finalmente é objectivo da Federação de Caçadores do Algarve, reflectindo a vontade e o desejo de todos os caçadores algarvios, tendo como fio condutor a importante e sensível iniciativa realizada o ano passado em Castro Marim, que da venda do produto dos metais recolhidos ofereceram duas cadeiras de rodas a duas Instituições de carácter Social, poder alargar esta iniciativa a todo o Algarve para que no final da "Operação" e do resultado da venda dos metais e ferros recolhidos, possamos ajudar a minimizar algumas carências sociais de uma Instituição Social de cada Concelho do Algarve.

800 toneladas de lixo recolhidas no primeiro ano

Os caçadores algarvios arregaçaram as mangas, foram para o terreno e proporcionaram um autêntico gesto cívico recolhendo enormes quantidades de lixo que estão espalhados pelo terrenos (ordenados ou não) do Algarve. O resultado foi espantoso já que inicialmente estava calculada uma recolha de 200 toneladas de lixo e monos, mas o resultado foi outro: foram recolhidas mais de 800 toneladas de lixo.

Os materiais metálicos são normalmente vendidos e o produto da venda aplicado em electrodomésticos e televisores que são oferecidos a Instituições Particulares de Solidariedade Social indicadas pelas câmaras municipais, revertendo o donativo na proporção da recolha efectuada no respectivo concelho.

..

 | FCA  - Copyright © 2006 | Design: Região Sul 2 - Publicações, Lda. |.